Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ser Mulher

Com 20 anos e completamente apaixonada por um jovem de 23, venho partilhar com vocês a aventura e dificuldade de passar a ser uma mulher. Quando vivemos com uma super mulher, a quem chamamos Mãe, parece impossível um dia ser como ela♕

Ser Mulher

Com 20 anos e completamente apaixonada por um jovem de 23, venho partilhar com vocês a aventura e dificuldade de passar a ser uma mulher. Quando vivemos com uma super mulher, a quem chamamos Mãe, parece impossível um dia ser como ela♕

Qua | 16.05.18

Vamos falar de amor ...

VeraVilela

background-pastel-tumblr-6.jpg

 Existem mil e uma maneiras de amar, tal como existem mil e uma maneira de demonstrar o amor. Conseguimos amar várias pessoas de diferentes formas, desde o amor que nutrimos pela família até ao amor que nutrimos pelo nosso companheiro. Hoje queria conversar um pouco sobre o amor pelo(a) companheiro(a).

Todos nós carregamos uma mochila com memórias, boas e más, todos já amamos muito, tal como, todos já sofremos (por amor ou não).  A partir do momento em que decidimos partilhar a nossa vida com outra pessoa, é necessário que os dois tenham noção da história de cada um.

A nível amoroso existe imensa gente que não vivenciou momentos maus e, por esse motivo, apenas transporta boas recordações, por outro lado essas mesmas pessoas já devem ter passado momentos difíceis a outro nível e, são esses momentos que nos moldam e nos tornam mais frios e maduros para encarar todos os obstáculos que iremos encontrar. 

Partilhar a vida é partilhar isto tudo, desde o bom ao mau, e arranjar soluções para lidar com todas as situações. Se a outra pessoa é fria ou bruta em alguns momentos, acredita que ela já sofreu um dia, nesses mesmos momentos, com outro(a) companheiro(a). Se a outra pessoa adora mimo, é porque já precisou dele em algum momento e não teve quem o dar. Se a outra pessoa foge de ti, é por medo de se magoar, mesmo que te ame imenso. 

Costuma-se dizer: "Primeiro sempre eu, depois os outros". Na realidade não pode funcionar assim, o outro precisa de atenção, tal como tu também a queres receber. Tudo o que tu queres tens de aceitar dar, para poderes receber. 

Quando me perguntam: "O que consideras mais importante numa relação?" Para além do amor, o mais importante é sempre a confiança. Amar é confiar no outro, é dar a liberdade que o outro precisa, é dar espaço nas alturas certas, é falar de tudo o que sentimos sem medo da resposta. E quando a confiança se perde? Se amas luta, luta para voltares a confiar. Claro que em alguns momentos deves desistir, quando já, por mais que tentes, a desilusão foi tal que não dá para confiar de novo. 

Mas luta, mesmo que os dois estejam numa fase difícil, tanto a nível pessoal como profissional. Confesso, pela minha história, que amar não é fácil, ainda por cima quando os dois somos estudantes do último ano de licenciatura e estamos mesmo na reta final, mas é tão bom. É bom ter aquela pessoa do teu lado a acompanhar todo o teu percurso, ter aquela pessoa a encher-te de beijos quando estás mal, ter aquela pessoa a rir contigo e fazer figurinhas, que só vocês entendem, no meio da rua. É tão bom amar ... mas, por vezes, dói. 

 

Brilha sempre ✩